Tradicional exportadora de café que atua no Rio de Janeiro desde 1996, a ValorCafé é a única empresa que comercializa o Espresso Gourmet Especial para ser utilizado exclusivamente nas máquinas TRES. Trabalhamos somente com o café do tipo Arábica, procedente das melhores regiões produtoras do país. Selecionamos o nosso café entre os melhores grãos de cada safra de uma diversidade de produtores, o que garante um produto superior.

Novidades

Fique por dentro das novidades

Os diferentes sabores de café do Brasil

17 de outubro de 2018 14:34:03 BRT

Os diferentes tipos de café no Brasil

Se existisse uma pesquisa para eleger a bebida mais famosa no mundo inteiro, o café ganharia com ampla vantagem. O produto é originário da região da Etiópia e conquistou os quatro cantos do globo terrestre através do Egito e da Europa.

Entre as inúmeras características, a bebida vai além do fator estimulante e energético. Com a sua grande popularidade, ganhou versatilidade por onde passou. Os italianos, por exemplo, resolveram usar a bebida para dar um toque especial no tiramisu, sobremesa que, além do café, leva mascarpone e cacau em pó.

Aqui no Brasil, encontrar alguém que não seja fã é uma das tarefas mais difíceis que existem. Até mesmo aqueles que não gostam da bebida, se entregam ao aroma do produto.

De acordo com dados da Associação Brasileira da Indústria de Café (Abic), em 2017, consumimos 1,7 milhão de toneladas de café. A mesma organização constatou que, entre 2016 e o ano passado, o consumo de café no Brasil cresceu 3,5%.

Entre todos os produtores do grão no mundo, o Brasil é líder de exportação. Segundo dados do Ministério da Agricultura, no ano passado, as vendas movimentaram pouco mais de US$ 5 bilhões. O café no Brasil, atualmente, ocupa a 5ª colocação entre os produtos mais comercializados com outros países. Projeções da Conab, Companhia Nacional de Abastecimento, indicam que, para este ano, serão produzidas quase 60 milhões de sacas de 60 kg, com grãos que são cultivados em 11 Estados brasileiros, entre eles, São Paulo.

Por que o café do Brasil é tão bom?

Atualmente, o Brasil apresenta condições favoráveis para o cultivo em 15 regiões produtoras, o que favorece a diversidade no cultivo. Se levarmos em conta que o clima, a altitude e os tipos de solo influenciam na produção de cada café, é possível entender a variedade do mercado cafeeiro. Vale lembrar que as duas espécies cultivadas no país são a arábica e a robusta, que possuem uma grande variedade de linhagens que proporcionam aos apreciadores da bebida aromas e sabores diferentes.

O arábica é um tipo de café cultivado em plantações localizadas acima de 800 metros de altitude. Por esta questão, é muito presente em São Paulo, Minas Gerais e parte do Espírito Santo, por exemplo. É um tipo de produto mais fino, requintado e com melhor qualidade. Já nas lavouras do Espírito Santo e regiões da Bahia, o grão encontrado é o robusta, muito usado na produção de cafés solúveis, por exemplo. É um grão que produz uma bebida menos ácida e com maior teor de cafeína.

No Estado de São Paulo, a região Alta Mogiana Paulista é uma das grandes produtoras cafeeiras. Com cidades com aproximadamente 1.000 metros de altitude, é possível encontrar belíssimas lavouras e a produção de bebidas com sabores marcantes.

De acordo com um estudo feito por uma universidade em Londrina, os melhores sabores de café são encontrados em plantações que estão entre 1 mil e 1.300 metros de altitude em relação ao nível do mar. A região Alta Mogiana Paulista, por exemplo, é famosa por grãos que rendem os melhores sabores de café do país. Quanto maior a altitude do local de produção, melhor é o sabor da bebida.

Consumidores exigentes e apaixonados por café encontram nessa região do Estado de São Paulo uma ótima oportunidade para deixar conversas e encontros ainda mais marcantes. Um bom exemplo de café produzido nessa região está no ValorCafé Espresso Gourmet, produto originário da área da Alta Mogiana Paulista e que vem conquistando os paladares mais exigentes.

Vale dizer ainda que o grão que é produzido em regiões baixas geralmente rende um café mais suave e pouco marcante. Para quem busca notas mais intensas de noz, baunilha ou chocolate, a sugestão é procurar por grãos cultivados acima de 1.200 metros de altura em relação ao nível do mar.

Conheça e aprecie o café brasileiro. Você, certamente, vai se apaixonar pelo sabor marcante dos grãos da região Alta Mogiana Paulista!